Agenda

Novidades

Fale conosco

 

DESIGN GRÁFICO

terça-feira, 14 de julho de 2009

Segundo Raquel Gianolla (2006), as imagens são ícones importantes da sociedade para representarem ideias e traduzirem modelos de comportamentos, conceitos, mensagens éticas e culturais. Na imprensa, cumpre assim seu papel de consumo rápido ao estimular a percepção, muitas vezes o humor, persuadindo o leitor/espectador no ato de trasmitir a mensagem principal. Neste seu livro Informática na Educação, a autora explora um capítulo analisando capas de revistas nacionais para exemplificar algumas representações difundidas pela mídia impressa sobre o uso das tecnologias na escola. Na mídia televisiva também há um enfoque apelativo para as imagens fortes, violentas, para prender a audiência do público.

O certo é que em pleno advento da internet a mídia escrita não perdeu espaço e tem seus leitores fiéis, mas o que se observa é que tentam se adequar às necessidades da sociedade. Exemplo simples é o que aconteceu com a revista da Turma da Mônica, de Maurício de Souza, que teve toda uma preocupação com as crianças deste mundo contemporâneo, as novas visões de mundo e posturas que essas crianças assumem hoje, criando novo design para seu projeto (Mônica Jovem) roupagem mais moderna dos quadrinhos, que é o mangá.O desenhista alega que foi "uma forma de se adaptar às transformações de uma sociedade em que a infância é cada vez mais curta". Ele diz também que "o papel pintado ainda vai durar muito tempo."

A pressa, a falta de tempo e a quantidade excessiva de informações, em virtude da facilidade com que se divulga, fez com que houvesse realmente uma preocupação com o design dos jornais e outras publicações impressas. Claudio Prudente enfatiza no seu texto Design Editorial que a partir dos anos 80 a preocupação com o design teve uma enorme influência da linguagem jornalística da TV. Textos curtos, cuja justificativa é que os leitores não tinham mais tempo de ler, muita cor e gráficos. Outra problemática apontada, desta vez por Antônio Fontoura, em seu artigo Design, do Conhecimento e Educação, para se ter uma real preocupação com as publicações é com relação aos novos termos e expressões ligadas ao mundo da tecnologia e design.

Segundo Samuel Souza, webdesign local, a imprensa hoje da cidade de Imperatriz, não acompanha a tendência de designers mundial que tem característica leveza e modernidade, mas que pode ocorrer essa mudança com a inserção no mercado de novos profissionais da área jornalística, com essa visão e formação aberta para o novo, para a quebra de paradigmas.Na internet, pode-se já visualizar essa mudança de tendência na imprensa de Imperatriz, com o uso de blogs, onde a informação não é só divulgada, mas discutida e comentada tanto por jornalistas, políticos como pelo cidadão comum.

Dentro deste raciocínio a imprensa escrita deve procurar se adaptar à tendência de mercado, e o papel dos designers é muito importante para essa transição e mudança editorial.


REFERÊNCIAS


FONTOURA, Antonio M. Design do Conhecimento e Educação.

GIANOLLA, Raquel. Informática na Educação: representações sociais do cotidiano. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 2006. 120 p. Coleção Questões da Nossa Época; v.96.

PRUDENTE, Claudio. Design Editorial.
VEJA. A Mônica Já quer namorar. Eedição 2098, ano 42, 4 de fevereiro de 2009.





2 comentários:

Raquel disse...

Que feliz achado na internet um texto que complementa as idéias colocadas por mim sobre imagens da mídia. parabéns e obrigada pela parceria. a educação agradece o gesto de chamar a atenção para uma linguagem tão pouco explorada na educação. ATT Raquel Gianolla

Cida Marconcine disse...

Nossa... que honra... estou tão feliz com sua visita ao meu blog e mais feliz ainda com seu importante comentário, que para mim só confirma que estou no caminho certo e reforça ainda mais tudo que acredito e o que ainda tenho a trilhar... pessoas como você fazem a diferença pois assumem com humildade o seu papel no presente cenário. Eu é quem agradeço sua gentileza... Obrigada mesmo, Raquel Gianolla!!!!